Germinal – Educação e Trabalho

Soluções criativas em Educação, Educação Profissional e Gestão do Conhecimento

Cabreúva redescobrindo seus encantos através da magia das mandalas! 16 de agosto de 2008

 

O título da notícia parece estranho ao contexto deste sítio. Fala de Cabreúva e da magia das mandalas. No entanto, a mandala em questão é a da horta em mandala. A horta em mandala é uma das propostas do movimento de permacultura, criado pelo ambientalista Bill Mollison, na Austrália.

Espiral de ervas

“O termo mandala vem do sânscrito e significa “sagrado” ou “círculo mágico”. Trata-se de um jardim de círculos concêntricos que respeitam a agricultura ecológica. “Um dos seus princípios é: copie o desenho da natureza. Como nela tudo é arredondado, os canteiros retos foram reformulados. Pode-se ter um tanque de irrigação no centro. Por meio de linhas de drenagem, a água escorre para o meio e é recaptada para o sistema. Na agricultura convencional, a água é barrada para evitar a erosão do solo, distingue Marcelo Martins, agrônomo paulista.” (Por Kátia Stringueto, em Revista Bons Fluidos – 09/2007). 

Cabreúva, cidade do Estado de São Paulo, interessa aqui porque supomos que o Jovem Aprendiz Rural referido no artigo abaixo reproduzido, trata-se do Programa de Aprendizagem Jovem Aprendiz Rural, do SENAR. Se certa a suposição e o que entendemos do texto, as docentes coordenadoras  do Jovem Aprendiz Rural da cidade, Ciça e Patrícia, inovaram no desenvolvimento projeto integrador: “Tornar uma àrea produtiva de forma sustentável”. Adotaram os princípios da permacultura e da horta em mandala. É importante que os resultados sejam acompanhados e, se positivos, difundidos.

 Para saber mais sobre o Programa Jovem Aprendiz Rural e sobre a participação da Germinal no design e implementação do Programa, clique aqui. Para saber mais sobre o Projeto Articulador “Tornar uma área produtiva de forma sustentável”, clique aqui.

 

 

Escrito por Cristiano Andreazza   

Dom, 29 de Junho de 2008 04:45

A cidade de Cabreúva (Cabrué Yba = árvore da coruja) situa-se a cerca de 70 km de São Paulo e apresenta uma vasta riqueza histórico-cultural, enraizada principalmente na ligação de seus povos com a Floresta Atlântica e com seus rios.O currículo da cidade-árvore inclui pérolas como a Serra do Japi, o Manancial do Ribeirão Piray, as Corredeiras do Rio Tietê, o Roteiro dos Bandeirantes, o Caminho do Sol e a passagem das tradicionais Romarias rumo a Pirapora.

Atualmente o CJ Caipira desenvolve projetos de “Princípios de Permacultura e Reencantamento Humano através da Cultura Tupi-guarani”, com Escolas de Ensino Infantil, Fundamental e Médio da cidade, além de atuar como parceiro no projeto Jovem Aprendiz Rural de Cabreúva.Na última semana realizamos atividades de reencantamento e cuidado na Horta em Mandala da Escola Miguel Elpídio da Costa, no Bairro do Cururu, zona rural de Cabreúva.

A diretora da escola, nossa grande parceira Regina, bem como os professor@s, acolheram com grande entusiasmo o projeto e tem dado todo o apoio para sua realização.As crianças, mesmo as de ensino infantil, já começam a se familiarizar com o alfabeto ecológico e até a surpreender. Elas gravam com muita facilidade as músicas que cantamos, observam e perguntam tudo sobre a mandala, cooperam naturalmente nos tratos e se monitoram no cuidado, já que criamos a mandala ao lado do parquinho de diversões.

Os próximos passos envolvem a continuidade no acompanhamento da Horta, a criação de um Minhocário, de uma Composteira e uma espiral de ervas além da realização de um Lanche Saudável na Escola.

 

 

Nesta mesma semana desenvolvemos atividades com a juventude da Escola Estadual “Lucídio Motta Navarro”, do centro de Cabreúva. Fizemos uma discussão sobre segurança alimentar e transgênicos e a juventude cabreuvana se mostrou amplamente permeável aos princípios agroecológicos em detrimento dos transgênicos.

 

 

O encontro envolveu a visitação da área do projeto Jovem Aprendiz Rural de Cabreúva, no qual somos parceiros. A apresentação do projeto foi feita pelos próprios alunos, que já construíram na área Hortas em Mandala, Composteira, Canteiros retangulares, Galinheiro, etc. As Coordenadoras Pedagógicas do Projeto Ciça e Patrícia, tem desenvolvido seus trabalhos seguindo princípios agroecológicos e os alunos tem respondido muito bem.

 

 

Quanto a Escola Lucídio, estamos altamente sintonizados com professor@s da escola, que gostaram da metodologia de trabalho e sinalizam para uma possível implantação do Projeto “Conexão Braço de Órion”.

 

 

Seguimos em frente na sintonia de Gaia.

 

 

 
%d blogueiros gostam disto: